domingo, 27 de novembro de 2011

Fado, Património Imaterial da Humanidade









Fado
José Malhoa, 1910.

Quem diria que, um século depois de ter sido retratado por Malhoa, o Fado, enquanto canção, que o pintor concebeu "inerte e enleante a escorrer do corpo sensualíssimo da fadista ou da boca entreaberta do seu desgraciador", seria hoje declarado, pela UNESCO, Património Imaterial da Humanidade.
Congratulações ao Fado, aos Fadistas, a Portugal.

Sem comentários:

Enviar um comentário