segunda-feira, 30 de maio de 2011

Porta da fortaleza

Porta de entrada da Fortaleza de Peniche.

Telhados portugueses

Hoje pensei numa outra componente da cerâmica: os materiais de construção e, de modo particular, nas telhas.
Adoro as que têm formato de meia-cana. Numa olaria do distrito de Santarém fui encontrar os moldes que, ainda hoje, são utilizados no seu fabrico.

domingo, 29 de maio de 2011

Feira dos Pucarinhos


Esta imagem, registada no ano de 1982, mostra uma rua de Vila Real e é alusiva à Feira dos Pucarinhos.
Sobre esta feira, escreveu um dia (1957) Carolina Michaëlis de Vasconcellos:

“Em Vila Real de Trás-os-Montes celebra-se anualmente, nos dias 28 e 29 de Julho, defronte da capela de S. Pedro, uma festa popular chamada dos pucarinhos. No número dos objectos de barro, então vendidos (da fábrica de Bisalhães), entram uns pucarinhos minúsculos – verdadeiros brinquinhos – que os elegantes oferecem às damas e que se suspendem no peito por fitinhas de cor”.

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Forno de lenha


Claro que, ao entrar, não fiquei indiferente aos tachos de barro vidrado, nem sequer à saladeira de bordo ondulado e muito menos aos fogareiros e assadores de castanhas, mas, desta vez, as atenções centraram-se essencialmente neste belíssimo forno de lenha que pertence a uma antiga casa construída na região saloia.
O que eu gostava de ter um assim!


domingo, 22 de maio de 2011

Ementa totalmente brasileira


Ontem, à hora marcada, lá nos encontrámos no local combinado para o tão desejado "jantar brasileiro". A nossa anfitriã, no desnorteio que a caracteriza, ainda foi comprar os ingredientes necessários para o jantar. Depois dos encontros, desencontros, paragens no percurso por falta de gasolina, enganos no trajecto e desvios por caminhos errados... conseguimos chegar a casa da (O). Uff!
A cozinha foi pequena para receber tanto colaborador, mas a (G), a única cozinheira oficial, dirigiu tudo com verdadeira mestria.
Parabéns (G) pelo chin chin de galinha e pela moqueca de bacalhau, sem esquecer, claro está, a farofa e o diabólico molho lambão. Estavam divinais. Obrigada (O) pelo convite e por nos teres recebido na tua casa.

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Índio Hopi


Esta fotografia, da autoria de Roland Reed, foi tirada no ano de 1915, no Estado de Arizona (EUA). Nela vemos um índio Hopi a aplicar efeitos decorativos numa tigela de cerâmica.
Percebe-se a encenação da pose, mas é impossível ficar indiferente à beleza da imagem.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

A morte anunciada da olaria

A imagem regista um forno de olaria, existente no distrito de Santarém. Quando a registei, numa recente viagem que fiz a esta região do país, não deixei de recordar as palavras da etnóloga Margarida Ribeiro:
“A primeira vez que vi uma coisa de plástico pensei: agora o plástico vai substituir a olaria toda. (…) Então arrumei as minhas coisas, pus a minha casa em ordem e comecei todos os fins-de-semana a viajar. Viajei muito. Viajei e andei à procura de olarias para poder escrever o que escrevi sobre tão antiga indústria".  E já lá vão 13 anos.
Contra todas as conjecturas, ainda vai havendo gente que teima e que persiste.

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Mestre José Franco

Hoje passei a manhã numa biblioteca a ler e reler textos de vários autores. A procurar novas publicações sobre olaria, em busca de mais informação que me é necessária. De repente, encontrei algo inesperado. Achei até curiosa a coincidência. Ontem visitei o "Sobreirinho", como desde a minha infância me habituei a chamar à aldeia em miniatura criada por José Silos Franco , e hoje, ao folhear uma edição sobre postais ilustrados, deparei-me com esta imagem maravilhosa do grande mestre do figurado a trabalhar na sua oficina. Um feliz acaso.


domingo, 8 de maio de 2011

Inspirar, respirar ar do campo, ar da praia

Depois de uma semana de corrida para o comboio - corrida para o autocarro - oito (ou mais) horas de trabalho - regresso ao autocarro - arrasto de pés até ao comboio. Anseio pelo fim-de-semana.
E ele aqui está. A terminar, é certo, mas deu tempo para encher os pulmões  de ar renovado que vai durar para uma semana inteira, espero.
 Passagem pela aldeia miniatura do ceramista José Franco (Sobreiro - Mafra)...
...e pelo mar, que ainda vai sendo azul, da Ericeira.

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Citando Lao Tse


Modela-se a argila para fazer vasos,
mas é do vazio interno
que depende o seu uso.
                                        Lao Tse

domingo, 1 de maio de 2011

Subida à Serra de Sintra

O céu voltou a estar descoberto e a temperatura amena. Fui até à Serra de Sintra. Por mais que a visite, sei que torno sempre a encontrar novos motivos para parar, observar, apreciar recantos de paisagem construída ou natural.
Há quem escreva que, no passado, as pessoas costumavam sair para o campo no primeiro dia de Maio para celebrar a chegada da Primavera. Hoje o calendário é outro, mas a natureza continua prodigiosa.