terça-feira, 30 de novembro de 2010

Gato preto

Há dias precisei de ir ao Museu de História Natural, de Sintra, para fazer recolha de informação necessária à elaboração de um trabalho académico. Aproveitei a ocasião e percorri, a pé, boa parte da zona do centro histórico da vila. A manhã, apesar de invernosa, tinha o céu descoberto. Com a chegada da estação fria as árvores adquiriram tons de ouro e cobre. Algumas estão já quase despidas, mas os plátanos ainda conservam a sua folhagem e mostram todos os matizes da cor verde e cobre. Nas sebes e nas bermas dos caminhos adensam-se os tons dourados e vermelho fogo das plantas trepadeiras. No ar respirava-se o suave perfume das folhas caídas.
Sobre um muro velho, um gato esperava o sol.

Sem comentários:

Enviar um comentário