domingo, 17 de outubro de 2010

A olaria



Os primeiros objectos de barro foram modelados exclusivamente pela mão do homem. Nessa alura, o oleiro não dispunha ainda de quaisquer instrumentos de trabalho. Antes da roda de oleiro ter sido inventada na Mesopotâmia (final do quarto milénio A.C.), havia já oleiros que sabiam tirar o melhor partido das propriedades da sua matéria-prima de eleição, o barro. Os primeiros objectos de cerâmica cozida datam de há 10 a 12 000 anos.
Esses primeiros oleiros moldavam o barro em formas livres ou fabricavam os objectos por sobreposição de pequenos rolos de barro, uma técnica que ainda hoje é utilizada em diferentes pontos do globo, nomeadamente no território do continente africano.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Oleiro


Durante o trabalho é raro o oleiro que canta. Pode-se quási dizer que o oleiro não canta.
É porque para a obra que realiza não necessita do compasso alegre da cantiga que dê ao seu espírito vivacidade e inspiração.
A infusa ou a cantarinha que nasce do bloco de barro e se espreguiça por entre os dedos tomando forma, é já composição melódica de ritmos simples que de harmonia em harmonia surge como a paráfrase musical duma combinação de notas consonantes. Assim o oleiro atento à obra que vai realizando com pedaços de poesia ingénua da alma, consegue orquestrar a melopeia da forma no que a própria forma tem de mais eurítmico e canoro.
E não canta, porque a obra que realiza é já em si um cântico suave…  
(Ribeiro, Emanuel. 1927)

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Viva a República


 
 Passei pela Cordoaria Nacional (Lisboa) para ver "Viva a República".
Excelente exposição, extraordinário trabalho de investigação. A visita é imperdível.

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

LEGO: Mini Box 4

Ontem, mais uma vez constatei que nós portugueses teimamos em não ser amigos de nós próprios. Nas chamadas "grandes superfícies" encontramos à venda variadíssimas marcas de lápis, é um facto, mas da única marca de fabrico nacional nem rasto. Senhores comerciantes, a Viarco é nacional e é BOA!
Serenei os ânimos com a visita à exposição da Lego (El Corte Ingles - Lisboa) e com o presente maravilhoso que foi oferecido pelo meu amigo Alex.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Do pó se fez barro, do barro se faz loiça

Têm sido sem dúvida demasiadamente surpreendentes e enriquecedoras as experiências vividas ao longo do trabalho de pequisa que tenho vindo a realizar sobre a produção de olaria em Portugal. Momentos tão cheios, tão cheios que é impossivel ficar com todos eles só para mim. Por isso decidi trazer para este espaço alguns desses momentos, histórias, testemunhos..., partilhá-los com mais alguém, e tentar fazer deste blog um elo de ligação com as questões, com as pessoas, que de forma directa (ou não) estão relacionadas com estas coisas do barro.

Michelle Picolli



As mulheres são românticas, os homens solitários. E ambos partilham (por vezes) a solidão e o amor.
(Michelle Picolli)

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

domingo, 10 de outubro de 2010

Domingo de Outono




Hoje esteve um dia quente e descoberto. Visitei o Museu da Pólvora Negra, que fica na antiga Fábrica da Pólvora de Barcarena, e caminhei pelo parque longo e verdejante, mas onde quase não restam flores. Colhi uma folha de hera linda.
De regresso, ainda tive tempo para parar junto da azinheira onde de vez em quando desaparecem umas bolotas... trouxe algumas para pintar em casa.

sábado, 9 de outubro de 2010

Pequeno tributo a John Lennon


No dia em que eu celebrei 13 anos, John Lennon completou 40. Apesar da minha tenra idade, recordo que já olhava Lennon como uma referência, pela visão que tinha do mundo e como o preocupavam as questões sociais; como sonhava; como escrevia; como pensava; pela música que fazia.
Hoje, se fosse vivo, o eterno sonhador verificaria que tem vencido a força. A força das armas, dos canhões, dos média, do conluio internacional, da Igreja, do dinheiro. Já não há mais decisões locais. Tudo agora é planetário, desde a indústria de automóveis ao fabrico de revoltas e repressões. (Miguel Torga)

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

À procura de Wally



Olhando para este emaranhado de cores lembrei-me daquelas imagens "labirinticas" que nos desafiam a descobrir onde está o Wally. Se tivesse que dar um título a esta obra essa seria a minha escolha.
A escultura integra a exposição A culpa não é minha e está patente no CCB.

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Cavalo lusitano




De passagem por terras ribatejanas, foi-me apresentada uma criatura absolutamente fascinante: a Segurelha, uma égua puro sangue lusitano. Lindíssima!
As origens desta raça de cavalo são incertas mas não devem diferir muito das do Andaluz, de resto, a que se assemelha em alguns aspectos. No passado foi utilizado para fins militares e como cavalo de carruagem. Actualmente, é ainda possivel encontrar estes cavalos no auxílio de desempenho de trabalhos agrícolas (nomeadamente na região do Ribatejo), mas a maior relevância parece estar no seu uso nas touradas.

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Lisboa comemora o centenário da República


Hoje, houve muita animação nas ruas de Lisboa.


De passagem pela zona de Belém, tentei visitar a exposição patente nos jardins da residência oficial do Presidente da República, mas desisti imediatamente da ideia ao avistar a fila interminável de gente que esperava e desesperava pela sua vez de entrar (até às 16:00 já tinham entrado mais de 10 mil pessoas). Ainda tentei a minha sorte junto da entrada do Museu da Presidência da República, mas o cenário era em tudo idêntico.
Tracei itinerário para outras paragens: a Baixa Pombalina. Desci à Praça do Comércio e espreitei outro evento muito interessante: Corpo - Estado, Medicina e Sociedade no tempo da I República. Bom trabalho de pesquisa. Vale a pena visitar.

A implantação da República em Portugal comemora 100 anos


Com a implantação da República pretendeu-se que os cidadãos fossem homens livres, para que, sem dependerem de ninguém e voluntariamente, decidissem pôr o serviço da comunidade acima de qualquer outro interesse. Na República, o individuo livre seria a matéria-prima para a construção de uma entidade colectiva – a nação republicana –, que passava a ter prioridade sobre esse indivíduo.
Mattoso, José. 1994. “A cultura republicana”, in História de Portugal. (p.401)

domingo, 3 de outubro de 2010

Outubro com cheiro a outono



Frutos do castanheiro (Castanea vesca).

Outubro é o oitavo mês do antigo calendário romano. Os eslavos chamam-lhe "Mês amarelo" devido à cor que as folhas adquirem; os anglo-saxões conheciam-no por "fylleth" de Inverno, porque consideravam que nesta lua-cheia (fylleth) começava a estação mais fria.
Eu prefiro-o por ser o mês em que as cores adquirem um colorido mais bonito.



sábado, 2 de outubro de 2010

Exposição



A sinalética encontrei-a no CCB (Lisboa). Para ver mais terá que ser percorrida "A culpa não é minha". E vale a pena a caminhada!

Henriqueta e Nicolau


A Henriqueta e o Nicolau já têm forma. Agora, falta dar-lhes vida.