domingo, 20 de setembro de 2009

Miguel Torga






Os gestos que não fazemos à espera de que os outros os façam por nós. E assim perdemos a vida, que é uma expressão permanente que não pode ser adiada.

Sem comentários:

Enviar um comentário